Baul Sangit

Baul Sangit

Escrito em 1893, sob o pseudônimo de Chand Baul, esse Baul Sangit é um conjunto de 12 canções em bengali, onde Bhaktivinoda Thakura expõe a filosofia desviante de várias apasampradayas (grupos heréticos que tem a pretensão de se chamarem de vaishnavas). Dessas apasampradayas, o grupo conhecido como Baul é muito famoso por conter músicos talentosos que viajam de vila em vila, cantando musicas populares sobre o amor divino, junto a canções de amor mundano.

A palavra Baul vem do bengali batula “louco, maluco, insano” que por sua vez vêem do sânscrito vatula, indicando aquele que tem perturbação em vata, uma das constituições bioenergéticas da medicina ayurvédica que contém o elemento ar e éter. No caso dessas canções, bem como na citação anterior retirada do Chaitanya-caritamrta, Baul é alguém que ficou completamente enlouquecido de amor divino por Krishna. Nessa citação, Advaita Acharya como diretor dos passatempos de Chaitanya, revela que a missão deles estava completa e que já era hora de voltar ao mundo espiritual.
Nessas canções, Bhaktivinoda, de maneira muito esperta, se apresenta como um Baul, cantando suas canções populares e assim instrui a todos que sigam o caminho de sadhana-bhakti (práticas devocionais) sem desvios.

Que ao seguir os passos do verdadeiro Baul, Bhaktivinoda Thakura, todos possam ficar enlouquecidos de amor divino!

Ramananda Das (Felipe D’Aviz)

* Para receber atualizações, curta nossas páginas no Facebook: Editora Gouraprema, Baul Sangit, Sri Camatkara-candrika e Sri Sankalpa-kalpadrumah.

* Para adquirir esse e outros livros, acesse nossa Loja Virtual