Narottama Dasa Thakura

[Em 2018, o aparecimento de Narottama Dasa Thakura é celebrado em 31 de janeiro.]

Extraído de “Sri Chaitanya: His Life & Associates” por Srila Bhakti Ballabh Tirtha Maharaj

Narottama-Dasa-Thakura-4
Narottama Dasa Thakura

akumara-brahmacari sarva-tirtha-darshi
parama-bhagavatottamah shrila-narottama-dasa

Tendo sido um brahmachari durante toda a sua vida, Narottama Das visitou todos os lugares de peregrinação. Ele estava situado na plataforma mais alta da realização devocional. (Bhakti-ratnakara 1.256)

Narottama Thakura é Champaka Manjari em Krishna-lila. Eternamente auxiliando Rupa Manjari em seu serviço à Radha e Krishna, Champaka Manjari teve misericórdia pelas almas condicionadas desta terra e apareceu como Narottama na aldeia de Kheturi, a cerca de doze milhas de Rampur Bowaliya na subdivisão do distrito de Rajshahi Gopalpur. Isto ocorreu no dia de lua cheia do mês de Magh em algum momento em meados do século XV da era Shaka.

Narottama nasceu no Maghi Purnima. Desde este dia, ele prosperou e cresceu tal como uma lua crescente.
(Bhakti-ratnakara 1.281)

Narottama era filho de Raja Krishnananda Datta, o zamindar da área de Gopalpur. Sua mãe se chamava Narayani Devi. Raja Krishnananda tinha um irmão mais novo chamado Purushottam Datta, e seu filho se chamava Santosha. A fim de mostrar que seus associados podem nascer em qualquer casta,  Krishna fez Narottama nascer em uma família kayastha.

Desde a sua infância, Narottama começou a demonstrar sintomas de sua futura grandeza. Todos ficavam maravilhados ao ver sua refinada inteligência e seu comportamento devocional. Ele estava constantemente absorvido na meditação sobre as maravilhosas qualidades de Sri Chaitanya Mahaprabhu e Nityananda Prabhu. O Senhor e seus associados apareceram para ele em um sonho.

Enquanto lágrimas escorriam de seus olhos, Narottama oferecia orações de rendição a Sri Krishna, Chaitanya, Nityananda, Advaita e outros associados do Senhor. Por fim, o Senhor e Seus associados apareceram em um sonho e os consolaram com doces palavras.
(Bhakti-ratnakara 1.285-6)

Chaitanya Mahaprabhu
Chaitanya Mahaprabhu

Mahaprabhu abandona Prema por causa de Narottama

De acordo com o Premavilasa, quando Mahaprabhu passava por Kanair Natashala, enquanto Ele dançava em êxtase no kirtana, começou a gritar o nome de Narottama. Nityananda ao lhe perguntar porque estava chamando esse nome, Mahaprabhu respondeu: “Meu Senhor. Você não conhece suas glórias. Quando fomos para Jagannath Puri, você derramou lágrimas de amor divino, dia após dia. Eu consegui capturar seu amor divino e salvá-lo. Agora, gostaria de mantê-lo aqui no rio Padmavati para Narottama Das.”

Mahaprabhu foi então até o Rio de Padmavati, até o local conhecido como Kutubpur, onde Ele tomou banho e cantou e dançou em êxtase. E então chamou o rio, “Ó Padmavati! Tome o meu amor e mantenha-o aqui. Quando Narottama vier e se banhar aqui, entregue-o a ele.”

Então, Padmavati perguntou, “Como irei reconhecê-lo?”

Mahaprabhu respondeu, “Você saberá quem é Narottama, pois quando ele adentrar suas águas, você transbordará.”

O local onde Mahaprabhu deixou o prema para Narottama posteriormente recebeu o nome de Prematali. Certa vez, quando Narottama tinha doze anos de idade, ele teve um sonho no qual Nityananda Prabhu lhe dizia para se banhar no Padmavati e buscar o prema que ali havia sido guardado para ele. No dia seguinte, ele foi até o Padma, e assim que colocou os seus pés na água, o rio começou a transbordar. Então, Padmavati lembrou-se das palavras de Mahaprabhu e deu a Narottama o prema que havia guardado para ele.

Narottama abandona sua casa

Tão logo experimentou os êxtases de prema, a natureza, a aparência, tudo relativo a Narottama mudou. Seus pais notaram tal transformação e fizeram tudo o que estava a seu alcance para trazê-lo de volta ao seu estado normal, mas não conseguiram. Tendo bebido o vinho do êxtase divino, Narottama embriagou-se e os laços da vida familiar não eram mais capazes de detê-lo.

Samadhi de Narottama Dasa Thakura
Samadhi de Narottama Dasa Thakura

Narottama começou a se perguntar como ele poderia escapar de seus enlaces materiais. Até que um dia, aproveitando a ausência de seu pai e de seu tio que estavam viajando em uma missão oficial, discutiu com sua mãe e enganou os guarda-costas para que pudesse abandonar sua família e partir para Vrindavan. Isso ocorreu em um dia de lua cheia de Kartika.

De acordo com terceiros, Narottama esperou a morte de seu pai para ir para Vrindavan, ocasião na qual seu primo Santosha recebeu a responsabilidade de zamindari. Mesmo sendo filho de um rico zamindar, devido ao seu desejo de unir-se ao Senhor, ele estava pronto para abandonar os prazeres do corpo. Ele chorava dia e noite, andava descalço, esquecia de se alimentar e de beber, até que caiu inconsciente debaixo de uma árvore. Um brahmane de pele dourada surgiu e lhe ofereceu uma xícara de leite e disse-lhe com uma voz doce, “Ó Narottama, beba esse leite. Seus cortes e hematomas desaparecerão. Vá com calma.”

Após dizer isto, o brahmane desapareceu e o exausto Narottama finalmente adormeceu. Naquela noite, ele sonhou com Rupa e Sanatana Goswami. Os dois Goswamis colocaram suas mãos em seu peito e o alimentaram com o leite que Mahaprabhu havia lhe dado. Todo o cansaço de Narottama desapareceu.

Fonte: BVML
Tradução: Madhukari Radhika Devi Dasi