Se Rupa Goswami não tivesse vindo

por Tridandisvami Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaja
Vrndavana, Índia

[Nesse ano de 2014, o desaparecimento de Srila Rupa Gosvami foi dia 7 de Agosto. O discurso a seguir foi falado por Srila Narayana Maharaja em honra do dia de seu desaparecimento em 17 de Agosto de 2005. Esse discurso foi proferido na frente do samadhi de Srila Rupa Gosvami no Templo (Mandira) de Sri Radha-Damodara:]

rupa samadhi
Samadhi de Srila Rupa Goswami

Hoje nós somos muito afortunados por estarmos aqui no bhajana-sthali e samadhi-sthali (sthali significa lugar) de Srila Rupa Gosvami, no Templo de Sri Radha-Damodara.

Srila Rupa Gosvami é a vida dos Gaudiya Vaisnavas. Ele é o mais proeminente dos rasika-bhaktas (devotos que experimentam humores transcedentais) e é ele somente que satisfaz o mano-bhistham, o sentimento do coração de Sri Caitanya Mahaprabhu. Nós realizamos nossa adoração para ele, e oramos a seus pés de lótus para que suas concepções se manifestem em nossos corações. Oramos para que o modo pelo qual ele serviu Sri Gauranga Mahaprabhu e Sri Sri Radha-Krsna possa também manifestar-se em nossos corações.

Se Srila Rupa Gosvami não tivesse vindo a esse mundo, a misericórdia transbordante – o presente de servir Srimati Radhika – criado por ele teria parado quando o Senhor desapareceu. Sri Krsna veio a esse mundo como Sri Caitanya Mahaprabhu por duas razões. A primeira razão foi saborear Seus três desejos não realizados. *[Ver nota de rodapé 1] A segunda razão foi distribuir ao mundo o caminho de devoção espontânea (raga-marga) , seguindo os passos dos associados de Krsna de Vrndavana), e especialmente o serviço a Srimati Radhika. Sriman Mahaprabhu manifestou no coração de Sri Rupa Gosvami e o inspirou a escrever toda a sua literatura transcedental, especialmente o Bhakti-rasamrta Sindhu, Ujjvala Nilamani e mais tarde o Vidagdha-madhava.

Antes de Sri Caitanya Mahaprabhu aparecer aqui, as pessoas odiavam parakiya-rasa. Eles tinham uma má concepção disso. Mesmo outras sampradayas – como a Sri (Laxmi) Sampradaya de Srila Ramanujacarya e também a Nimbarka sampradaya – eram contra a adoração de Radha-Krsna de tal modo que eles separaram a Deidade de Radha da de Krsna em Jaipur.

Srila Rupa Gosvami estabeleceu a verdadeira concepção de Sri Caitanya Mahaprabhu através de seus livros. Ele especialmente usou o Srimad-Bhagavatam como evidência para estabelecer que parakiya-rasa é não somente autêntica, mas é a mais elevada expressão de amor. Ele estabeleceu essa verdade de tal forte maneira que todas as outras sampradayas tiveram que prostar suas cabeças e aceitar isso.

O que teria acontecido se Srila Rupa Gosvami não tivesse aparecido nesse mundo?

Vraja-prema – o prema de dasya, sakhya, vatsalya, e especialmente o prema das gopis – permaneceriam contidos num reservatório. Há muitos tipos de gopi-bhava, chamados sneha, mana, pranaya, raga, anuraga, bhava, mahabhava. Todas essas definições foram dadas por Srila Rupa Gosvamipada.

O verso da “definição” do Srimad-Bhagavatam contém essa essência:

ete camsa-kalah pumsah
krsnas tu bhagavan svayam
[“Todas as encarnações acima mencionadas ou são Suas porções plenárias ou porções das porções plenárias do Senhor. Mas, o Senhor Krsna é a Suprema Personalidade de Deus.” (Srimad Bhagavatam, 1.3.28)]

Murti de Srila Rupa Goswami
Murti de Srila Rupa Goswami

Mas Srila Rupa Gosvami nos mostrou como obter esse Supremo Senhor de tudo, dando definições para todos os estágios de devoção por Ele. O que é sneha? O que é maan? O que é pranaya? O que é raga? O que é anuraga? O que é bhava? O que é madana-bhava? O que é madanakya mahabhava? *[Ver nota de rodapé 2] Ele deu essas definições de sraddha, nistha, ruci, suddha-sattva e bhava bhakti. *[Ver nota de rodapé 3] Ele manifestou a definição de sadhana bhakti:

krti-sadhya bhavet sadhya-
bhava sa sadhanabhidha
nitya-siddhasya bhavasya
prakatyam hrdi sadhyata
[“Quando o serviço devocional transcendental, cujo amor por Krsna é atingido, é executado pelos sentidos, isso se chama sadhana-bhakti, ou o desempenho regulativo do serviço devocional. Tal devoção eternamente existe dentro do coração de toda entidade viva. O despertar dessa devoção eterna é a potencialidade do serviço devocional na prática.” (Sri Caitanya Caritamrta, Madhya-lila 22.105)]

Srila Rupa Gosvami explicou que sadhana é sadhana apenas quando nossa meta é atingir bhava-bhakti. Aí então podemos chamá-la de sadhana-bhakti; de outra maneira não. De outra forma, a prática é chamada sadhana-abhasa (uma sombra ou semelhança da prática devocional). Ele nos deu as definições de prema e mostrou a todo o mundo a natureza do apego de Srimati Radharani por Krsna. Ele mostrou ao mundo como podemos ser atraídos por Radha e Krsna. Ele ensinou a identidade de Radha-Krsna, e também a de Sri Caitanya Mahaprabhu:

anarpita-carim cirat karunayavatirnah kalau
samarpayitum unnatojjvala- rasam sva-bhakti-sriyam
harih purata-sundara- dyuti-kadamba- sandipitah
sada hrdaya-kandare sphuratu vah saci-nandanah
[” Possa o Senhor Supremo que é conhecido como o filho de Srimati Saci-devi situar-se transcendentalmente no âmago do seu coração. Resplandescente com o brilho do ouro derretido, Ele apareceu na Era de Kali por Sua misericórdia imotivada para conceder aquilo que nenhuma encarnação jamais oferecera anteriormente: a doçura radiante do mais sublime serviço devocional, a doçura do amor conjugal.)” (Sri Caitanya Caritamrta, Adi-lila 1.4)]

Quem é Sri Caitanya Mahaprabhu? Radha-bhava- dyuti-suvalitam naumi krsna-svarupam. Ele é Sri Krsna, coberto pela tez e bhava de Srimati Radhika. Ele veio a esse mundo para distribuir o serviço para Ela nesse mundo. Quem descreveu a identidade de Caitanya Mahaprabhu? Svarupa Damodara não, Sarvabhauma Bhattacarya não o fez, e Sri Ramananda Raya também não. Todos sabiam, mas quando Sri Ramananda Raya começou a explicar Sua identidade, Mahaprabhu fechou sua boca. Apenas Rupa Gosvami pôde descrever completamente. Todos os outros foram impedidos, mas Rupa Gosvami não pode ser impedido. Mahaprabhu o escolheu para revelar-Se a esse mundo, e também o escolheu para distribuir o serviço a Srimati Radhika ao mundo. Rupa Gosvami tinha um humor especial, e aqueles que seguem seus passos são chamados rupanugas. Todos os rupanugas são raganugas, mas nem todos os seguidores da plataforma de raganuga-bhakti são rupanugas.

Sri Rupa Gosvami descreveu bhakti, serviço devocional puro, em um verso:anyabhilasita- sunyam
jnana-karmady- anavrtam
anukulyena krsnanu-
silanam bhaktir uttama
[ Deve-se render serviço amoroso transcendental ao Senhor Supremo Krsna favoravelmente e sem desejo por ganho material ou ganho através de atividades fruitivas ou especulação filosófica. Isso é chamado serviço devocional puro.”
(Bhakti-rasamrta Sindhu 1.1.11)]

Nas primeiras duas linhas ele nos mostrou o que não é bhakti. Ele também nos explicou o significado das palavras aropa-siddha bhakti, sanga-siddha bhakti, karma-misra bhakti, yoga-misra bhakti, anyabhilasita- yukta bhakti (bhakti coberta pelas designações materiais) e assim por diante. Ele descreveu todos esses tópicos.

“Se Srila Rupa Gosvami não tivesse aparecido na Kali-yuga, quem teria aberto o grande reservatório de vraja-prema e distribuído seu conteúdo livremente? Assim como um cisne separa o leite da água, quem mais poderia separar as rasas para prová-las? Abandonando tudo, ele realizou bhajana em Vrndavana e escreveu sua literatura rasika. Ele viveu como uma abelha pegando o néctar dos lótus – quem poderia ter entendido o néctar que ele coletava? Quem poderia ter compreendido os passatempos de Krsna em Mathura e Vrndavana? Como poderíamos nós ter conhecido as doces vraja-lilas e o amor entre Radha e Madhava (outro nome de Sri Krsna, que significa o ‘marido ou amado da suprema Deusa da Fortuna’)? Através da misericórdia de seus pés de lótus, todos podem cantar e obter tal divina bem-aventurança. O rendido Madhava dasa está sempre orando por abraçar as glórias de Sri Rupa.” (Yan Kali Rupa Sarira Na Dharata, de Sri Madhava dasa)]

O kirtana “Yan Kali Rupa Sarira Na Dharata” de Sri Madhava dasa declara: “Assim como um cisne separa leite da água, da mesma maneira Srila Rupa Gosvami separou o leite de suddha-bhakti (devoção pura) da água de todos os diferentes tipos de bhakti misturada.

Srila Rupa Gosvami deixou tudo – todos os seus membros familiares, sua posição, seus discípulos e tudo mais. Ele veio sozinho para Vrndavana.
Aqui, no Radha-Damodara Mandira, ele terminou a maioria de seus livros. Ele começou a escrever uma obra dramática descrevendo os passatempos de Krsna, mas no caminho para Jagannatha Puri, no Sri Satyabhama Pura, Satyabhama devi apareceu em seu sonho e lhe disse, “Ó Rupa, você deve escrever duas obras.” Posteriormente, em Puri, Mahaprabhu lhe disse, “Não tire Krsna de Vrndavana. Você deve escrever duas obras – Vidagdha-Madhava e Lalita-Madhava.”

Satyabhama não poderia se assemelhar a uma pessoa comum. Radhika, também. Quando Srila Rupa Gosvami ouviu as instruções de Mahaprabhu: “Não tire Krsna de Vrndavana,” ele pôde entender que a intensão de Satyabhama e a de Mahaprabhu eram a mesma. Então ele escreveu duas obras.
Ele escreveu e compilou mais de 30 livros, como Stava-mala e muitos outros, e a maioria foi compilada aqui no templo Radha-Damodara.

Podem existir diferentes tipos de flores, como bheli, cameli, lótus, e assim por diante, mas a menos que uma abelha esteja presente, quem poderá entender o néctar contido dentro dessas flores? Durante o dia, as abelhas vão até as flores de lótus. Durante a noite o lótus fecha a abelha dentro dele. Essa mesma abelha, que é capaz de cortar até mesmo um bambu para sair, não pode escapar das pétalas do lótus. Da mesma forma, todas as gopis tem muito fragrantes humores em seu serviço a Krsna, mas a menos que uma abelha esteja ali, como poderemos compreender essa fragrância? Assim como a abelha é capturada pela flor de lótus, a abelha-Krsna é capturada pelo prema das gopis. Ele é completamente dependente.

Visvanatha-Cakravati-Thakura-May-06-card-size-web2
Srila Visvanatha Cakravarti Thakura

As palavras “ko janata, mathura vrndavana” são significantes nessa canção. Sem a misericórdia de Srila Rupa Gosvami, quem poderia ser capaz de entender o que é Mathura e o que é Vrndavana? Mathura é o local de aisvarya-mayi bhakti, e Vrndavana é o local de madhurya-mayi bhakti. Mathura e Vrndavana são muito próximas, mas ninguém de Mathura visita Vrndavana, e ninguém de Vrndavana visita Mathura. Apesar de serem muito próximas geograficamente, elas são muito distantes no humor. Tudo isso foi mostrado pela evidência de Srimati Radhika, que nunca foi a Mathura.

“Ko janata vraja-nita.” Sem Srila Rupa Gosvami, quem poderia ter entendido o humor de Vrndavana e o comportamento dos Vrajavasis? Sem ele, quem poderia ter entendido o apego de Radhika e Madhava um pelo outro? Srimati Radhika usa uma aparente linguagem abusiva com Krsna, mas Seu prema é na verdade milhões de vezes maior do que o de qualquer um. O prema Dela é maior do que a sadharani-rati de Kubja. Seu prema é maior que a samanjasa-rati das rainhas de Dvaraka. O prema de Radharani e das gopis de Vrndavana é chamado samartha-rati. Samartha significa que elas podem fazer qualquer coisa para satisfazer Krsna, e portanto apenas o prema delas pode completamente satisfazê-lo e controlá-lo. Sem a misericórdia de Rupa Gosvami, quem poderia ter entendido que Krsna é aprisionado apenas por Srimati Radhika?

O que quer que estajamos falando é apenas pela misericórdia de Srila Rupa Gosvami. Tudo o que os membros de nosso guru-parampara, como Srila Visvanatha Cakravarti Thakura, Srila Jiva Gosvami ou Srila Bhaktivinoda Thakura falaram foi também apenas pela misericórdia de Srila Rupa Gosvami.

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura escreveu o Prema-Samput. Lá ele descreve como Krsna se disfarçou de devi, uma semideusa chamada Syama-sakhi. Em uma forma disfarçada Krsna foi até Radharani e perguntou: “Ó Radharani, como Você pode amar Krsna?! Nós vimos o que Ele fez a você! Ele chamou todasa s gopis durante a rasa-lila, e mais tarde Ele A deixou sozinha. Ele tem um muito mau-caráter. Como Você pode ter desenvolvido afeição por Ele?

Radhika respondeu, “Ó, você não sabe o que é prema.”

Todos os tópicos transcedentais escritos por nosso Gaudiya parampara, especialmente por Srila Jiva Gosvami em Gopala-campu, por Srila Visvanatha Cakravarti Thakura, e o que ouvimos de Srila Prabhupada e nosso Gurudeva, isso tudo é a misericórdia de Srila Rupa Gosvami. Portanto, hoje oramos aos pés de lótus de Srila Rupa Gosvami para que ele seja misericordioso conosco e nos mantenha sob sua guia. Nós oramos para que ele inspire seus humores em nossos corações. Essa é nossa oração a seus pés de lótus.

Conselho Editorial: Sripad Madhava Maharaja e Sripad Brajanatha dasa
Tradução: Sripad Damodara Maharaja
Editoração: Syamarani dasi
Transcrição e digitação: Janaki dasi
Revisão: Krsna-kamini dasi
Tradução para o português: Acyuta Priya d.d.
Revisão Geral: Govinda Dasi