Aparecimento de Srimati Jahnava-devi

Extraído de “Sri Chaitanya: His Life & Associates” por Srila Bhakti Ballabh Tirtha Maharaj

Jahnava-Mata
Srimati Jahnava-devi


shri-varuni-revata-vamsha-sambhave

tasya priye dve vasudha ca jahnavi
shri-surya-dasasya mahatmanah sute
kakudma-rupasya ca surya-tejasah

ananga-maïjarim kecij jahnavam ca pracakshate ubhayam tu samicinam purva-nyayat satam matam

As esposas de Balarama, Varuni e Revati tornam-se Vasudha e Jahnavi, as duas esposas de Nityananda Prabhu, em Chaitanya-lila. As duas são filhas de Surya Das, tão resplandecente como o sol. Em seu nascimento anterior, foi Kakudman, o pai de Revati. Outros consideram Jahnava como sendo uma encarnação de Ananga Manjari. Ambas as opiniões são possíveis, pois já nos foi mostrado que é possível mais de uma identidade se manifestar nos associados de  Chaitanya Mahaprabhu.
(Gaura-ganoddesha-dipika 65-6)

Jahnava é filha de Surya Das Sarakhela. De acordo com o Gaudiya Vaishnava Abhidhana, sua mãe é Bhadravati. Terceiro filho de Kamsari Mishra, o shripata de Surya Das é o vilarejo de Shaligrama, não muito distante de Navadwipa, situado próximo à estação de Muragacha na zona Eastern Railway.  Seus irmãos mais velhos são Damodara e Jagannatha, e os mais novos, Gauri Das, Krishna Das Sarakhela e Nrisingha Chaitanya.

Shaligrama não está muito distante de Navadwipa. Surya Das Pandit fez dali a sua casa. Ele detinha um cargo importante no serviço ao rei de Gauda, pelo qual recebeu o título de Sarakhela (“comandante”) e foi recompensado com uma grande quantia de dinheiro. Surya Das e seus irmãos eram muito puros e possuíam uma reputação ilibada. Sua virtudes eram inumeráveis. Suas filhas são Vasudha e Jahnava. (Bhakti-ratnakara 12.3875-8)

Surya Das Sarakhela e Krishna Das eram os irmãos que possuíam grande fé em Nityananda e eram cheios de amor por Krishna. (Chaitanya Charitamrita 1.11.25)

Surya Das Sarakhela era um grande devoto, cujo irmão é Gauri Das Pandita. Gauri Das pediu sua permissão para viver em Ambika nas margens do rio Ganges. (Bhakti-ratnakara 7.330-1)

Ao longo do Bhakti-ratnakara, Narahari Chakravarti Thakura descreve o casamento de Nityananda Prabhu e a santa vida de Jahnava Devi. Toda a manifestação de Vishu-tattva possui três energias, conhecidas como Shri, Bhu, e Nila ou Lila. Nityananda Prabhu também é Vishnu-tattva e possui essas três energias. No 12º Taranga de Bhakti-ratnakara, o casamento do senhor Nityananda é descrito como tendo sido realizado de acordo com o costume humano. A essência dessa descrição é a seguinte:

Nityananda Prabhu, Vasudha (à esquerda) Jahnava-devi (à direita), em Srivas Angan, Navadwipa
Nityananda Prabhu, Vasudha (à esquerda) Jahnava-devi (à direita)

Um certo kayastha chamado Krishna Das, o filho de Harihoria de Bariagachi, um vilarejo próximo à Shaligrama, assumiu a responsabilidade de procurar uma esposa para Nityananda Prabhu. Um brahmane idoso de Shaligrama viu que Surya Das estava preocupado em buscar um marido adequado para suas duas filhas e fez a seguinte sugestão: “No vilarejo de Ekacakra em Rarhadesha há um casal chamado Hariai Pandita e Padmavati Devi. Em Krishna-lila, eles foram Vasudeva e Rohini. Balarama encarnou como seus filhos, Nityananda. Nitai viajou para todos os lugares de peregrinação e realizou muitas austeridades, tornando-se um grande erudito antes de ir para Navadwipa e de se tornar o associado mais querido de Chaitanya Mahaprabhu. Ele é o eterno marido de suas duas filhas.”

Em um sonho, Surya Das também teve uma visão de Nityananda como Balarama com Vasudha e Jahnava à sua esquerda e direita em suas formas como Revati e Varuni. Após Surya Das levar a sério o conselho do brahmane e oferecer suas duas filhas aos pés de lótus de Nityananda, ele misericordiosamente proporcionou-lhe a mesma visão, o que o fez cair em êxtase.

Ele viu Vasudha e Jahnava como Varuni e Revati, cujas formas eram mais resplandecentes que montanhas de ouro e kumkum. De pé à esquerda e à direita de Balarama, elas estavam decoradas com joias magníficas e adornadas com roupas finas e coloridas. Nityananda revelou sua magnificência ao seu devoto para lhe alegrar, e Surya das esqueceu-se completamente de si em êxtase. (Bhakti-ratnakara 12.3908-10)

Os rituais de adhivasa na véspera do casamento foram realizados na casa de Krishna Das Sarakhela em Shaligrama. Todos os brahmanes de Bariagachi e Shaligrama estavam presentes.

O afortunado Surya Das Sarakhela entregou suas duas filhas para Nityananda Prabhu de acordo com os ritos religiosos e costume popular. (Bhakti-ratnakara 12.3983)

A pedido de Sachi Mata, Nityananda Prabhu permaneceu algum tempo após seu casamento em Shantipur antes de se mudar para Saptagram, onde permaneceu com Uddharan Datta, e então estabeleceu residência permanente em Khardaha nas margens do Ganges.

Virachandra Goswami, filho do Senhor Nityananda
Virachandra Goswami, filho do Senhor Nityananda

Jahnava Devi não teve filhos, mas Vasudha Devi, a Shakti de Nityananda, deu à luz a Virabhadra (ou Virachandra) Goswami e Ganga Devi, encarnações de Kshirodakashayi Vishnu e do rio Ganges, respectivamente. De acordo com o Gaura-ganoddesha-dipika (69), Madhavacharya, marido de Ganga Devi, é uma encarnação do rei Shantanu.

As glórias de Jahnava Devi

Virabhadra Goswami foi inundado pela misericórdia de Jahnava Devi, tornando-se seu discípulo iniciado direto. Nityananda Das escreveu em seu Prema-vilasa que quando Virabhadra viu Jahnava em uma forma de quatro braços, sua mente foi alterada e ele decidiu aceitá-la como seu diksha guru.

Sem a misericórdia de Jahnava Devi, a energia de Nityananda Prabhu, ninguém é capaz de atravessar o oceano da vida material, nem obter o serviço de Nityananda Prabhu e entrar no serviço amoroso de seus adoráveis Gaurahari e Radha Krishna. Bhaktivinoda Thakura escreve no Kalyana-kalpa-taru:

“Ó Jahnava Devi! Seja misericordiosa com este servo hoje! Libere-me do meu sofrimento e me dê um lugar no barco dos seus pés de lótus para que eu possa ter certeza de que cruzarei o oceano de nascimento e morte. Você é a energia de Nityananda, é devotada a Krishna e meu guru. Por favor, conceda a este servo a árvore do desejo dos seus pés de lótus. O quão numerosas são as almas que você salvou; esse mendigo caído procura por um lugar aos seus pés.”

O mahajana Krishna Das em sua canção que começa com “Jaya Radhe, Jaya Krishna, Jaya Vrindavan”, ora pela misericórdia de Jahnava Devi após glorificar o nome, a morada e os associados de Krishna. “Lembrando dos pés de lótus de Jahnava Devi, o humilde Krishna Das canta os nomes do Senhor.”

As viagens de Jahnava Devi

O Senhor Balarama com suas esposas Varuni e Revati, Tota Gopinatha Mandir
O Senhor Balarama com suas esposas Varuni e Revati, Tota Gopinatha Mandir

Jahnava estava presente quando Narottama Das Thakura realizou um grande festival no vilarejo de Kheturi para instalar as deidades no dia do aparecimento de Chaitanya Mahaprabhu. E a instalação ocorreu sob sua direção. Ela também supervisionou e participou pessoalmente do preparo da primeira oferenda, bem como a ofereceu para as deidades. Ela serviu a prasada aos mahantas presentes.

Com grande satisfação, Jahnava Ishvari levantou-se cedo naquela manhã, tomou banho e fez sua meditação mântrica. Então, com grande entusiasmo, começou a cozinhar inúmeras preparações a base de vegetais. (Bhakti-ratnakara 10.686-7)

Todos os associados pessoais de Chaitanya Mahaprabhu da Bengala ficaram muito felizes ao ver Narottama Das. Jahnava Devi, a filha de Surya Pandita e esposa de Nityananda Prabhu, adorada em todo o universo, perita na distribuição da pérola de prema, ficou radiante ao ouvir seu nome. Sua alegria aumentou ao ver seu amor incomum por Krishna e sua renúncia. Por sua misericórdia, ela foi até Kheturi, satisfazendo a todos com a sua presença e concedendo seu darshan a todos. Como pode uma pessoa caída como eu descrever a natureza compassiva de Srimati Jahnava Devi? (Bhakti-ratnakara 1.429-34)

As viagens de Jahnava Devi são descritas no décimo primeiro Taranga de Bhakti-ratnakara. Na estrada de Kheturi até Braja, ela parou em um vilarejo próspero, onde liberou alguns criminosos e incrédulos ateístas e concedeu Krishna-prema a todos. Ao chegar em Vrindavana, avistou o samadhi de Gauri Das Pandita, o que a deixou em lágrimas. Em Vrindavana, os líderes da comunidade Vaishnava, como Jiva Goswami, Gopala Bhatta Goswami, Lokanatha Gosvami, Bhugarbha Goswami, Madhu Pandita, etc., vieram oferecer suas respeitosas saudações. Ao lado desses líderes, visitou os principais templos de Vrindavana — Madana Mohana, Govinda e Gopinatha – antes de ir até o Radha Kunda. Lá, encontrou-se com Raghunatha Das Goswami, que estava envolvido no cantar constante dos Santos Nomes, e cujo corpo era magro devido as suas austeridades.

Sri Jahnava Ghat
Sri Jahnava Ghat

Jahnava permaneceu no Radha Kunda por três dias desempenhando bhajana. Ela ouviu o som da flauta de Krishna  enquanto estava sentada nas margens do tanque e teve uma visão de Sri Krishna que a inundou com ondas de amor divino. O ghat onde Jahnava se banhou e teve esta visão é conhecido como Sri Jahnava Ghat. Então, ao lado dos Vaishnavas, partiu para o parikrama de Vraja-mandala. Durante este parikrama ela ouviu a aula de Jiva Goswami sobre Brihad-Bhagavatamrita.

Após sua visita à Braja, Jahnava retornou para Gauda-desha, onde visitou vários vilarejos. Ela passou três ou quatro dias em Kheturi (a casa de Narottama Das), algum tempo em Budhuri (a casa de Ramachandra Kaviraj no distrito de Murshidabad), no local de nascimento de Nityananda em Ekacakra (Birbhum), Katwa (onde Mahaprabhu tomou sannyasa e conheceu Yadunandana Acharya), Jajigrama (vilarejo de Srinivas Acharya), Shrikhanda (a casa de Raghunandan Thakura, filho de Narahari Sarkara Thakura), Navadwipa, Ambika, Saptagram (onde ela visitou a casa de Uddharan Datta), antes de finalmente retornar para Khardaha. Então, recontou a história de toda a sua viagem para Vasudha e Virabhadra Goswami.

Pela misericórdia de Jahnava Devi, Paramesvari Das Thakura, o associado querido de Nityananda, teve a boa fortuna de ver Gopinatha unir-se a Radharani em Vrindavana. Quando ele retornou para Khardaha e contou o que havia visto para Jahnava e Vasudha, Jahnava foi inundada por êxtases amorosos. Ela o instruiu a ir imediatamente para o vilarejo de Satpur e instalar as deidades de Radha e Gopinatha.
Jahnava Devi organizou o casamento de Virabhadra com as duas filhas de Yadunandana Acharya, Srimati e Narayani, ambas as quais se tornaram discípulas de Jahnava.
A shakti de Nityananda, Srimati Jahnava Devi, desapareceu no shukla navami tithi de Vaishakh.

Tradução: Madhukari Radhika devi dasi
Revisão: Ramananda das (Felipe D’Aviz)
Fonte: BVML